Todo mundo

Os últimos dias foram estranhos, e confesso que agora estou aqui olhando meu tíquete para Delhi sem uma ideia clara do que isso representa. Umas rápidas férias, é o que parece.

A única certeza que me ocorreu hoje é que essa não é a viagem de uma pessoa só.

É a viagem da minha família, que mesmo sem entender muito os meios, apoia incondicionalmente os fins (nesse caso, minha felicidade). Que se dedica e se esforça mesmo quando eu não mereço um “a” de ternura.

É a viagem dos meus amigos, que sabe Deus de onde tiram tanto carinho e apoio.

Eu posso não saber direito o que vai acontecer, mas sinto uma mão de amor me empurrando para frente. E eu sigo.

****

p.s.: As quase 30 horas de viagem aumentam a sensação de que efetivamente chegarei a outro planeta (sério, ir para a Lua demorou tanto?). Também tem o buraco negro do tempo que nunca vou viver por causa do fuso e a chegada ao futuro de 8h30 à frente.  Weird times.