Shanghai, a super

20140727-224003-81603629.jpg

Não esqueço quando vimos um grupo de turistas chineses em uma estação de esqui na Suíça – se entretiam mais com lojas de relógios que com a paisagem alpina. Dos moneybelts saíam tufos de euros, tudo em cash. Lojistas disseram que não fosse por eles, aquilo ali estaria semimorto.

A China é meio Brasil em muitos aspectos, o vão social um deles. Mas a diferença entre 2,3% e 7,7% de crescimento economico anual grita mesmo em Shanghai, que brilha e cresce a perder de vista.

A maior do mundo é empurrada por 24 milhões (líquidos, nada de ‘Grande Shanghai’). Tudo limpo e organizado, rio e canais navegáveis, uns verdes até na pilastra do anel viário, muitas luzes. É gente se esbarrando para todos os lados, mas nada entupido, como um formigueiro que flui a antenadas cumprindo sua rotina diária.

Vi Prada, Chanel, McQueen no shopping tinindo de design, pensei “Nossa, deve ser o mais chique”. Bah, tinha no outro e no outro e no outro, até na esquina tinha. Me perguntei com quantas Oscar Freires se faz uma West Nanjing Road, com quantas Paulistas se faz um Pudong. Será que as pessoas que vão trabalhar no futuro prédio mais alto do mundo sentirão medo de ver as nuvens passando embaixo delas? Se existe medo de altura sem sair do chão, eu senti.

Enquanto São Paulo discute o tal desenho urbano, Shanghai tem um baita museu só para explicar como vai ser a cidade no futuro. E eu achando que ele já estava ali, naquele skyline metalizado e colorido onde moram os Jetsons.

Gosto de associar cidades a figuras femininas. Paris é a falsa madame blasé passeando com seu poodle. Roma a matrona barulhenta de avental sujo de tomate. Nova Iorque a trintona se segurando no trend enquanto pode. E Shanghai a adolescente saltitante de short curto e boné néon, se retocando no espelho enquanto pensa no que vai comprar amanhã.

Para urbanoamantes como eu, simplesmente imperdível.

***
ps: voltem mais tarde para novas fotos neste post, porque agora a conexão encrispou. Falando nisso, o Flickr deste blog parou no tempo por questões de bloqueio, voltamos na Mongólia!

Anúncios

5 Comentários on “Shanghai, a super”

  1. Lívia disse:

    Só não gostei do adjetivo “falsa” para definir a minha queridinha! haha beijos

  2. Achei curioso que Shanghai te levou a uma interjeição gaúcha no quarto parágrafo hehe


Comentários aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s